INSTITUCIONAL

O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) surgiu como um marco da modernidade política e consagração dos princípios democráticos, quando da organização do sistema partidário em 1945. Entretanto, o ideal trabalhista já vinha se formando desde a revolução de 1930, constando do programa da Aliança Liberal, a criação do Ministério do Trabalho e a Reforma Agrária.

Os princípios do trabalhismo fizeram-se presentes enquanto Getúlio Vargas ocupou o poder. Ao valorizar os trabalhadores numa sociedade ainda marcada pelos resquícios do escravagismo — ou seja, pelo aviltamento do trabalho — o partido teve a missão de propor as reformas sociais necessárias para aquele período de transição política e efervescência econômica, que coincidiram com a queda do estado autoritário brasileiro, o final da II Grande Guerra e a redemocratização do Brasil.

Ao mesmo tempo em que o país se democratizava, partia para a implantação de grandes projetos industriais de base. O PTB nasce nesse momento junto com a Constituição de 1946. E coloca como fundamento a ênfase especial na valorização da força de trabalho, ponto de partida para o efetivo desenvolvimento nacional.

Foi no governo do PTB que se consolidaram as organizações sindicais, inclusive com a instalação efetiva da Justiça do Trabalho. Nesse período surgiram alguns dos grandes pensadores do trabalhismo, como Alberto Pasqualini, Lúcio Bittencourt e San Thiago Dantas. Após a morte de Getúlio Vargas, o PTB participou ativa e democraticamente do governo de Jucelino Kubitschek de Oliveira. Nos anos 60, para impedir a posse do vice-presidente, constitucionalmente http://assignmenthelponline.co.uk/essay-writer eleito, João Goulart, implantou-se artificialmente o parlamentarismo. Foi nesse período que se propôs à Nação as reformas de base e o Plano Trienal de Recuperação e Desenvolvimento Econômico.

Contra o governo trabalhista de João Goulart, implantou-se o estado autoritário em 1964. O PTB foi então o mais perseguido de todos os partidos políticos, tendo seus quadros dizimados, torturados e exilados. Mas o ideal trabalhista persistiu. Quinze anos depois, em 1979, o Partido Trabalhista Brasileiro requereu, novamente, sua formação. Preparava-se, renascido, para o desafio da reconstrução democrática do Brasil. Desde então, esteve presente na campanha das Diretas, na eleição de Tancredo Neves, na convocação e elaboração da Constituição de 1988 e no processo eleitoral que resultou na primeira eleição direta para Presidente da República.

O Brasil e o mundo mudaram, e o trabalhismo brasileiro modernizou-se sem abrir mão de seus ideais e convicções. O primeiro compromisso do PTB é com o trabalhador, independente de sexo, credo ou estratificação social, sem discriminar entre o trabalho físico e intelectual. Além disso, o Partido acredita que, por intermédio da valorização dos trabalhadores do Brasil, estará sendo construída uma sociedade mais justa, digna e feliz.

O PTB foi e é partido reformista e de vanguarda, no sentido de estar à frente de seu próprio tempo. Como disse o presente Getúlio Vargas, “o PTB é uma revolução em marcha”. Foi quem primeiro vocalizou os interesses e as aspirações da classe trabalhadora e da classe média urbana. As posturas partidárias, que se seguem, consolidam essa vocação do trabalhismo contemporâneo, propondo e alargando caminhos para a sociedade brasileira.