ARTIGO | Chico Galindo: PTB, 73 anos trabalhando pelo Brasil

por Agência Trabalhista de Notícias, em 15/05/2018

A Fundação Ivete Vargas, que orgulhosamente presido, está em festa neste dia 15 de maio. Isto porque o dia 15 de maio marca o aniversário de fundação do Partido Trabalhista Brasileiro, o PTB, que foi idealizado pelo então presidente Getúlio Vargas para lutar pelos interesses do trabalhador. Getúlio, um dos maiores presidentes da história do nosso País, ajudou a criar o PTB para que ele defendesse, principalmente, a boa relação entre empregado e empregador, garantindo justamente ao trabalhador os direitos que depois viriam pela caneta do próprio Vargas: a Consolidação das Leis do Trabalho, a aposentadoria, o 13º salário, o Ministério do Trabalho, entre tantas outras conquistas que duram até os dias de hoje.

E nesse dia especial, em que comemoramos os 73 anos de nascimento do PTB, nós, da FIV, não podemos deixar de lembrar do advogado, professor e político Alberto Pasqualini, um dos principais formuladores do programa do partido recém-criado. Pasqualini foi um dos maiores ideólogos do trabalhismo no Brasil, e defendia que o trabalho é uma obrigação da sociedade para com todo cidadão, e que, por isso, um partido político de defesa da igualdade e da justiça social precisava se engajar firmemente na defesa do direito de todos ao trabalho.

Alberto Pasqualini foi incumbido por João Goulart a organizar, em 1952, o departamento de estudos do PTB, que viria no futuro a se tornar a Fundação Instituto Getúlio Vargas, hoje Fundação Ivete Vargas. Este homem que influenciou a formação do ideário petebista, dizia que as pessoas na terra existem, colocadas por Deus, para usar os frutos da terra, e que elas não são iguais. Para ele, cada pessoa tem o direito de trabalhar e ganhar de acordo com a sua capacidade. O trabalho, na visão de Pasqualini, em primeiro lugar é uma obrigação da sociedade para com todo cidadão. Em segundo lugar, todo trabalhador que trabalha, independentemente da sua capacidade, tem o direito de receber um mínimo para viver com dignidade. E foi em torno desse pensamento e desse sentimento que o Partido Trabalhista Brasileiro moldou as suas diretrizes e forjou o seu caminho na vida política nacional.

Hoje, passados 73 anos desde que Getúlio fundou o partido, o PTB continua, sob a liderança do nosso presidente Roberto Jefferson, sendo a principal agremiação política de defesa do trabalhador, o verdadeiro defensor dos direitos de quem trabalha e produz. Este partido que teve Getúlio Vargas como criador, continua firme na defesa intransigente não só do trabalhador, mas também do empregador. Como diz um slogan há alguns anos utilizado pelo partido, o "PTB não vai deixar mexer nos direitos do trabalhador". Essa sempre será a luta dos trabalhistas: garantindo a manutenção das questões fundamentais ao trabalhador, como o décimo terceiro, o salário mínimo, as férias e todas as garantias trabalhistas que foram asseguradas à época de Getúlio, e que, hoje, se mantém também ao esforço do PTB na luta para que direitos de quem trabalha jamais sejam suprimidos.

Assim como o PTB, a Fundação Ivete Vargas está em festa, e homenageia a cada um dos petebistas espalhados de Norte a Sul do País. Nossos parabéns ao PTB e a todos que ajudam a construir o presente e o futuro deste que é um dos mais importantes partidos políticos da história brasileira.